BREVE HISTÓRIA DO FOGÃO

Os fogões são mais antigos do que se imagina. Suas primeiras formas surgiram na Idade Antiga, quando o homem deixou de ser nômade e passou a controlar o fogo. Os fogões primitivos nada mais eram do que buracos no chão, nos quais se colocava fogo e as panelas por cima das chamas, por meio do uso de pedras.

Um pouco depois dessa época, o homem começou a fazer e a utilizar fogões de barro e metal, que até hoje podem ser encontrados em chácaras e algumas casas do interior do Brasil. É o chamado “fogão caipira” ou “fogão à lenha”.

Com os avanços da Revolução Industrial, passou-se a explorar novas formas de geração de energia, como o carvão, o petróleo, entre outras. A partir daí, foram desenvolvidos fogões bem mais modernos e parecidos com os que vemos hoje em dia.

Com a descoberta do poder energético do petróleo e suas derivações, foi criado o primeiro fogão capaz de funcionar a partir de um combustível  não natural (nafta, um componente do petróleo). Mais tarde, tal combustível foi substituído pelo gás. Hoje em dia, a maioria dos fogões possui sistemas elétricos embutidos.